Livro A Estratégia: uma refutação

A editora Central Gospel, cujo dono é o Pr. Silas Malafaia, é responsável por comercializar o livro A Estratégia no Brasil. O autor é o pastor americano Louis Sheldon. 
Na sexta-feira, 14 de setembro, decidi comprar o livro pessoalmente na sede da Central Gospel, que fica num prédio anexo à igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, na rua Belissário Pena, bairro da Penha, Rio de Janeiro. Não queria perder a viagem procurando em alguma livraria sem encontrar um exemplar do mesmo. Paguei o livro à vista e ainda pedi desconto. É triste reconhecer, mas cada centavo a menos na mão deles é um centavo a menos contra nós.
Li todo o livro, fazendo anotações, prestando atenção às informações, números, etc. Garanto que o livro espalha diversas calúnias contra a comunidade LGBT e o movimento LGBT, e demonstro isso no vídeo que você vai assistir adiante. 
Uma coisa fica muito clara quando se lê o livro e se ouve o que dizem Silas Malafaia, Magno Malta, Marcos Feliciano e outros oponentes dos direitos civis dos homossexuais, bissexuais, transexuais e travestis ligados a esses senhores: O discurso deles é um plágio descarado do livro A Estratégia e de outros livros semelhantes e anteriores a esse.
O vídeo que você vai ver agora é uma resposta do Conselho LGBT da Liga Humanista Secular do Brasil na voz de Sergio Viula, presidente do mesmo. É um trabalho singelo, despretensioso mesmo, mas não fica no bate-boca. Parte para o esclarecimento de mentiras e distorções apregoadas pelo autor do livro. Muita coisa foi deixada de fora, caso contrário o vídeo teria duas horas. Mas nos próximos 50 minutos você vai ter material suficiente para entender por que esse livro é um incitador de ódio e por que nenhum desses pastores ou políticos homofóbicos é, no mínimo, intelectualmente honesto. 
Apesar de controvérsias jurídicas contra o livro como incitador de ódio contra os homossexuais, até a presente data nenhuma resposta foi dada ao  texto do Pr. Sheldon em si mesmo. Essa é a primeira com esse teor desde o lançamento do livro em português. 
Então, aproveite. E, depois, divulgue. 


**************************************

Bibliografia citada no vídeo:

1.  Heather M. Moulden, Philip Firestone, Drew A. Kingston, & Audrey F. Wexler – A Description of Sexual Offending Committed by Canadian Teachers: School of Psychology, University of Ottawa, 2008;
2. Ministério da Saúde – Boletim Epidemiológico – Aids e DST – Ano VIII, nº 1 – 27ª a 52ª semanas epidemiológicas, julho a dezembro de 2010 e Ano VIII – nº 1 – 01ª a 26ª semanas epidemiológicas, janeiro a julho de 2011;
3. Varella, Drauzio – Causas da homossexualidade
http://drauziovarella.com.br/sexualidade/causas-da-homossexualidade/  (online em 16/09/12);
4. Wikipedia – Criticism of conversion therapyhttp://en.wikipedia.org/wiki/Exodus_International (online em 16/09/12);
5. Hogg, Robert S. – Gay life expectancy revisited, International Journal of Epidemiology: http://ije.oxfordjournals.org/content/30/6/1499.full (online em 16/09/12);
6. Wikipedia – North American Man/Boy Love Association (NARTH): http://en.wikipedia.org/wiki/North_American_Man/Boy_Love_Association (online em 16/09/12);
7. American Psychological Association – Resolution on Appropriate Affirmative Responses to Sexual Orientation Distress and Change Effortshttp://www.apa.org/about/policy/sexual-orientation.aspx (online em 16/09/12);
8. American Psychological Association – Elevated rates of suicidal behavior in gay, lesbian, and bisexual youthhttp://psycnet.apa.org/journals/cri/21/3/111/ (online em 16/09/12);
9. Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) – Violência doméstica nas relações homossexuaishttp://apav.pt/lgbt/menudom.htm

Contatos em Florianópolis

Olá a Todas(os),

Acabei de me associar à LiHS e gostaria de saber se existem outros associados no estado de Santa Catarina para podermos estreitar relações e pensar iniciativas de âmbito local.

Sugiro que durante o I Congresso Humanista Secular o tema do desenvolvimento local da LiHS possa ser tratado.

Saudações,

José Carlos.

Conselho de Assuntos Femininos da LiHS agora é Conselho Feminista

Autoria: Vanessa Prates, presidente do CoFem (Conselho Feminista da LiHS)

Rosa Parks, uma de nossas inspirações
Quando esse Conselho nos foi oferecido,
há mais ou menos um ano, ainda sentíamos muita resistência ao feminismo
aqui pelas bandas da LiHS. Era notório como os participantes tinham um
pé atrás não só com as feministas, mas com a própria palavra feminismo
(talvez por desconhecer o próprio feminismo e também por não sacar que
todo humanista é obrigatoriamente feminista) . Backlash explica!
Só que como boas ocupadoras de espaços, não recusamos a oferta. Ou pegávamos ou pegávamos.
Acabamos aceitando sem
muito pensar no nome mais apropriado – e naquilo que de fato
desejávamos. E talvez pela falta de disposição de uma conversa mais
séria, finalizamos em Conselho para Assunto Femininos.
Obviamente que não se
tratava de dicas de maquiagem, receitas ou melhores posições para o sexo
(rs). O espaço buscava informar, conscientizar e debater a existência
do machismo na nossa sociedade, assim como maneiras de
intervenção/atuação direta e/ou indiretamente através do nosso Conselho.
Daí vocês podem me perguntar: Mas por que essa mudança agora? Qual a diferença entre Conselho para Assuntos Femininos e Conselho Feminista?
Na prática, nenhuma. A
diferença é mais na questão conceitual, já que o feminino não precisa,
necessariamente, estar atrelado à MULHER – e a figura mulher. A ideia de
feminino lembra automaticamente o masculino, e isso nos remete a um
binarismo. Sem dizer que comportamentos entendidos como autenticamente
femininos (normas de gênero) nos são reforçados a todo tempo através da
nossa cultura – verdadeiros agentes de opressão, já que é praticamente
inquestionável uma mulher não ser feminina ou mesmo um homem ser
feminino (com toda complexidade que o feminino representa).
E depois, nossa sociedade
é plural. Temos mulheres não femininas. Temos homens femininos. Temos
mulheres com pênis. Temos homens com vulva, etc.
Ademais, quando falamos
de feminismo, num sentido político/filosófico, falamos de um movimento
onde pessoas buscam um mundo socialmente igualitário para tod@s – homens
e mulheres. E como nosso Conselho representa pessoas feministas na sua
pluralidade (femininas, masculinas, andróginas, intersexuais), nada mais
pertinente que nomeá-lo enquanto tal.
 O debate deve ser amplo e pra tod@s!
 “Se não posso dançar, não é minha revolução” – Emma Goldman

Se você deseja participar do CoFem e receber novidades, entre no grupo do site oficial de membros da LiHS. Se ainda não é membro da LiHS, inscreva-se!

Grande Ordem Global :

Finalmente, passamos da expressão para a ação, já temos no Estado do Paraná uma Sede que servirá de ponto de encontro para os Ateus, desta e de outras Nações!

    O endereço é o seguinte!

    http://gog.dihitt.com.br

    R. Benvenuto Gussi n.398 b, Centro, Matinhos,Paraná,Brasil 

    O.n.g Ateísta  de promoção e defesa dos direitos Humanos.

    G.O.G ( Grande Ordem Global ),  uma frente de luta contra o maior de todos os preconceitos que existem!

     Ateus não são bandidos, muito menos criminosos, é direito de qualquer ser humano acreditar ou não !

    Senhores membros da Lihs, sofri todos os tipos imagináveis de barreiras por ser Ateu, digo  que é realmente  necessário ser Ateu convicto para  vencer a vida e seus obstáculos!

    O ateu que não assume sua postura existencial não é Ateu!

    Ateus!

    Se unimos forças, somos fortes!

    Pensem sobre a proposta!

    Estudem!

    Para ser  militante de uma causa Honrada não é preciso dinheiro, ninguém é obrigado a contribuir, mas tem o direito de saber , participar, ter certeza , com prova e conclusão irrefutável!

    Não é exagero ser um construtor da nova sociedade Humana, livre das amarras, mordaças e cabrestos!

    Somos seres Humanos que fazem uso da Razão , que não aceitam a imposição da ignorância como lei e muito menos ignorantes como Juízes!

    A era da inquisição estendeu seus tentáculos nefastos até a atualidade e isto precisa ter um fim!

    Se somos Ateus  convictos, seguimos a Razão!

    Por quê ?

    Simples, da Razão brotam Ateus!

    Torne-se um membro, participe, apoie, divulgue! 

    Una-se a causa!

    Revoluções  sociais, pacíficas?

    São possíveis!

    Você esta sendo convidado !

    Sem rodeios!

    Você aceita?